quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Rock in Rio – Fiasco Internacional!

A ideia, igual a qualquer outra que tem por objetivo promover cultura, foi boa… foi. Isso lá nos idos das décadas de 1980 e 1990 (quando o mundo artístico ainda existia), nas primeiras versões do espetáculo, quando contávamos com bandas como Iron Maiden, Whitesnake, AC/DC, Scorpions, Ozzy Osbourne, Metallica, Queen, Erasmo Carlos, Barão Vermelho, Lulu Santos, entre outros (dos quais nem todos eu gosto, mas, estão dentro da proposta do evento – “Rock” in Rio). De fato, aceita-se algumas misturas com o pop e outros estilos quando estas apresentam qualidade, o que, de tempos para cá, não vem acontecendo. Virou uma “salada de fruta” podre a lá brasileira, miscelânea de estilos destoantes, englobando ao um dos maiores festivais de rock do mundo axé (WTF?!!!!). Logicamente, para vender mais (hoje, ao que parece, só isso importa – e a proposta original do evento vai à merda!). Nada contra axé, mas, até onde sei, isso era para ser Rock apenas (vou mandar uma banda de Heavy Metal abrir o show dela para ver se agrada, rsrs).
Enfim, hoje tudo é comercial. Que riquezas o Brasil não vende, aluga ou dá “na parceria”? O que é bom e legitimamente nosso, que não nos apressamos a englobar outros países, dar a eles a preeminência sobre tal coisa a ponto de que não mais lhe tenhamos poder! Ou seja, por sermos “bacanas”, damos aos outros tudo o que eles valorizam em nós. Rock in Rio ainda se encaixa nessa questão por outro viés: Rock in Rio Lisboa.
Parece piada, mas não é. Aliás, brasileiro adora acreditar em piadas e torná-las reais. Pois é, Raul, até isso nós vendemos! Em 2004, a festa foi para Portugal (talvez, porque estávamos em débito com o país europeu por ele nos ter descoberto), o que se repetiu em 2006, 2008 e 2010, sendo que, em 2008 e 2010, migrou para Madrid (espero que o Rock in Rio passe a ser no Japão, China, Marrocos, Antártida, Deserto do Saara, Atacama, Triângulo das Bermudas, no Inferno! – já está tudo às avessas, não fará diferença!). Deixo claro que não tenho nada contra Lisboa e Madrid (muito pelo contrário); minha indignação é com os organizadores do evento, que a tudo se submetem pela “famosa troca de favores” (é através dela somente que o mundo continua girando!!!). Não sei porque ainda me indigno tanto. Já deveria estar acostumado a essas “ideias brilhantes”, típicas de brasileiro.     

Um comentário:

  1. Isso é foda! Os karas só querem fazer misturança e acabam estragando tudo! Pô, rock é rock!
    Alguém de reagir contra isso! Esse blog veio a calhar!

    ResponderExcluir